Bagagem

Voos Nacionais:

– Bagagem de mão 

Deve ser acomodada em compartimento próprio da cabine ou abaixo do assento, não gera custos adicionais, e deve atender aos seguintes requisitos:

  • Peso máximo de 10 kg e a soma das dimensões da bagagem (comprimento + largura + altura) não ultrapasse 115 cm;
– Bagagem despachada
 Com a polêmica alteração das regras em 2017 é importante o passageiro avaliar se precisará ou não pagar pela bagagem despachada.

Atualmente somente a Avianca não cobra bagagem despacha na tarifa mais barata. De acordo com o próprio presidente dessa empresa isso vai durar por pouco tempo. É intenção da empresa rever essa prática brevemente.

Dica:

Se necessário é importante fazer a compra da bagagem despachada antes do check-in. É praxe de todas as companhias aéreas cobrar valores mais altos em até 100% no balcão de despacho. 

Declaração de valores da bagagem despachada

  • É possível declarar à empresa aérea os valores de objetos contidos na bagagem despachada, ainda no check-in. Nesse caso, é permitido cobrar um adicional sobre o valor declarado.
 

Voos Internacionais:

– Bagagem de mão

Diante das novas regras da ANAC a bagagem de mão passa a ter peso máximo de 10 kg. Somente é permitida uma peça por passageiro. 

A bagagem de mão deve ser acomodada no compartimento de bagagem na cabine de passageiros ou sob a poltrona. 

– Bagagem despachada
 Com a polêmica alteração das regras em 2017 é importante o passageiro avaliar no momento da compra da passagem aérea como estão as regras de bagagem para os bilhetes que pretende adquirir. 
Até o presente momento a maior parte das companhias aéreas reduziu para apenas 01 peça de até 23 Kgs  o peso máximo para voos na America do Sul e Caribe. Esse é o caso da LATAM, com exceção de Cancún. 
A Gol, por exemplo, em sua tarifa mais barata cobra U$ 10,00 na primeira peça e U$4,00 por quilo, em caso de excesso de peso. 
As Franquias de bagagem na maior parte dos outros destinos foi reduzida para 02 peças de até 23 kgs cada. 
 
Dicas:
  • Dependendo a tarifa escolhida a franquia de bagagem já está inclusa.
  • Vale conferir seu status nos programas de milhagem das empresas. A maioria disponibiliza uma ou mais bagagens despachadas para seus membros. Na Smiles, a categoria prata já inclui a primeira bagagem de forma gratuita.

 Restrições para o transporte de líquidos

Em voos internacionais, existem restrições para o transporte de líquidos em bagagem de mão: – Todos os líquidos, inclusive gel, pasta, creme, aerossol e similares, devem ser conduzidos em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 1 litro, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm;

  • Líquidos em frascos acima de 100 ml não podem ser transportados, mesmo se o frasco estiver parcialmente cheio;
  • Os frascos devem ser adequadamente acondicionados (com folga) dentro da embalagem plástica transparente, completamente vedada;
  • A embalagem plástica deve ser apresentada na inspeção de embarque de passageiros, sendo permitida somente uma embalagem plástica por passageiro.

Essas restrições se aplicam também ao passageiro que, apesar de realizar um voo nacional, tenha seu embarque realizado em aérea destinada a embarque internacional. Lembre-se: em caso de conexão em outros países, a empresa aérea deverá informar o passageiro sobre a possibilidade de retenção ou não da embalagem. 

Excetua-se dos limites mencionados acima:

  • Artigos medicamentosos com a devida prescrição médica;
  • Alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais.

Referidos itens poderão ser transportados na quantidade necessária à utilização no período total de voo (incluindo eventuais escalas) e deverão ser apresentados no momento da inspeção de segurança.

Procedimentos especiais de inspeção em medicamentos

O passageiro poderá solicitar ao Agente de Proteção da Aviação Civil (APAC), responsável por controlar o fluxo de passageiros, antes do início do procedimento, que a inspeção dos medicamentos seja realizada por meio de procedimento diferenciado, sem a utilização de equipamentos de Raios-X e de detectores de metais. Nesse caso, o passageiro deverá entregar os medicamentos de forma separada dos demais itens da bagagem de mão ao APAC. O procedimento diferenciado deverá ser realizado com a utilização do equipamento Detector de Traços de Explosivos (ETD). Na indisponibilidade do ETD ou outros dispositivos de inspeção, o procedimento deverá ser realizado por meio de inspeção manual, verificando-se a compatibilidade do medicamento apresentado com suas características e/ou prescrição médica.

 Vale ressaltar que, a fim de evitar que os medicamentos sofram contaminação, o próprio passageiro poderá ser solicitado a apresentar, manusear e embalar novamente os medicamentos durante a inspeção.

Restrições para o transporte de artigos perigosos

Alguns itens podem parecer inofensivos, entretanto, durante uma viagem de avião tornam-se perigosos. Devido às condições durante o voo, podem vazar, gerar odores tóxicos, incendiar ou até mesmo causar explosões. Esses itens são chamados de Artigos Perigosos e podem classificar-se como: explosivos, gases, líquidos e sólidos inflamáveis, oxidantes, tóxicos, infectantes, radioativos, corrosivos, dentre outros.

Artigos Perigosos são proibidos de serem levados como bagagem de mão, como bagagem despachada e junto ao passageiro. Entretanto, há algumas exceções que são permitidas pela regulamentação da ANAC.

As informações sobre os artigos perigosos e aqueles que são permitidos pela ANAC estão disponíveis em Artigo Perigoso – Informação ao Passageiro.

 Problemas com bagagens

  • Extravio de bagagem

Caso sua bagagem seja extraviada, procure a empresa aérea ainda na sala de desembarque e relate o fato. Para fazer sua reclamação, é necessário apresentar o comprovante de despacho da bagagem e identidade.

Caso seja localizada pela empresa aérea, a bagagem deverá ser devolvida para o endereço informado pelo passageiro.

A bagagem poderá permanecer na condição de extraviada por, no máximo 30 dias (voos nacionais) e 21 dias (voos internacionais). Caso não seja localizada e entregue nesse prazo, a empresa deverá indenizar o passageiro.

  • Bagagem danificada

Procure a empresa aérea para relatar o fato logo que constatar o problema, preferencialmente na sala de desembarque. Esse comunicado por escrito poderá ser registrado na empresa em até 7 dias após a data de desembarque.

  • Furto de bagagem

Procure a empresa aérea e comunique o fato, por escrito. A empresa é responsável pela bagagem desde o momento em que é despachada até o seu recebimento pelo passageiro. Além disso, registre uma ocorrência na Polícia, autoridade competente para averiguar o fato.

Fonte: ANAC

Translate »